A Autoestima e o Poder das Pressuposições da PNL

Escrito por: 

Publicado em: 

seg, 15/09/2003

O Dr. Nathaniel Branden, autor de How to Raise Your Self-Esteem, designa a autoestima como "a única força mais poderosa de nossa existência." A PNL oferece maneiras poderosas de melhorar a autoestima e manter uma autoimagem saudável.

O que é a autoestima? A Força-Tarefa da Califórnia para Promoção da autoestima e Responsabilidade Pessoal e Social definiu a autoestima como "a apreciação de minha própria autoimportância e tendo o caráter de ser responsável por mim mesmo e de agir com responsabilidade em relação aos outros."

A autoestima tem três elementos: a apreciação, a capacidade de assumir algo e a responsabilidade. Em meu livro, 31 Days to High Self-Esteem: How to Change YourLife So You Have Joy, Bliss, and Abundance, eu mostro como usar técnicas poderosas da PNL para alcançar cada um desses elementos. As pressuposições da PNL oferecem o fundamento para a criação de uma elevada autoestima.

Autoapreciação

O primeiro elemento é a autoapreciação, a apreciação de nossa importância e de nossa dignidade. Aqui, aplicam-se duas pressuposições da PNL;

  1. Nós já temos todos os recursos de que precisamos.
  2. Não existe fracasso, existem apenas resultados.

Frequentemente, nós focalizamos somente nossas falhas ao invés de reconhecer nossos sucessos. Um sintoma comum é a Síndrome do Impostor, em que nós nos sentimos inadequados ou incompetentes e receamos que alguém descubra nossa incompetência. Conforme as pressuposições da PNL, não há fracasso e nós já possuímos recursos internos que precisamos para alcançar o sucesso. Com essas pressuposições, tudo se resume em descobrir a maneira certa de alcançar o que queremos atingir.

Dois recursos internos importantes são a nossa capacidade de aprender e a nossa capacidade de adaptação. Com capacidade de aprender e flexibilidade nós temos capacidade para manter a autoestima elevada. A adaptabilidade ajuda-nos a lidar com as mudanças que não podemos controlar.

A PNL é poderosa porque focaliza no positivo. Ela focaliza o que queremos em vez do que não queremos.

Responsabilidade pessoal.

O segundo elemento da autoestima é a responsabilidade pessoal ou capacidade de assumir algo. As pessoas que possuem autoestima elevada assumem a responsabilidade por suas vidas e pelas situações que enfrentam. As pessoas com autoestima baixa tornam-se vítimas das circunstâncias. A capacidade de assumir é um elemento crítico no fortalecimento pessoal.

O princípio da PNL que se aplica aqui é o de que, se aquilo que estamos fazendo não está funcionando, devemos fazer algo diferente. Quando alguma coisa não funciona em nossa sociedade, nós geralmente tentamos corrigir a situação fazendo mais da mesma coisa, fazendo-o mais depressa ou com maior aplicação. Quando na verdade, o que precisamos é fazer algo diferente.

A PNL começa com a pressuposição de que a mudança é possível e pode ocorrer rapidamente. Se não gostamos da situação em que estamos, temos a responsabilidade de fazer algo para mudar essa situação. A maneira mais fácil para mudar nossa situação é mudar a nós mesmos. A PNL nos proporciona a maneira de fazer isso.

Agir com responsabilidade em relação aos outros.

O terceiro elemento da autoestima é agir com responsabilidade em relação aos outros. Este é um elemento muito importante porque é ele que distingue a autoestima do egocentrismo. As pessoas que possuem autoestima elevada tratam as outras com respeito e dignidade. As pessoas com baixa autoestima frequentemente tratam mal as outras. Quando nós temos uma autoestima elevada, não necessitamos colocar os outros para baixo a fim de nos sentirmos importantes.

Um princípio básico é compreender as intenções positivas da outra pessoa. A pressuposição é que existe uma intenção positiva atrás de nosso comportamento. Isso não significa que o resultado desse comportamento seja positivo. Significa que nós temos a intenção de fazer com que nossas ações consigam algo que consideramos como um benefício positivo. Embora possamos não gostar daquilo que a outra pessoa faz, nós podemos apreciar sua intenção positiva. Esta simples pressuposição tem o poder de transformar os relacionamentos. A suposição de intenções positivas permite-nos separar a pessoa de seu comportamento - podemos aprovar a pessoa embora desaprovemos seu comportamento.

Modelando o sucesso

A PNL também pressupõe que nós podemos aprender modelando as pessoas bem sucedidas. Fazendo o que fazem as pessoas bem sucedidas, nós também alcançaremos o sucesso. Primeiro, nós modelamos o comportamento que queremos ter. Depois, nós dividimos um comportamento complexo em pequenas partes, a fim de aprendermos como aplicar esse comportamento. Isso nos permite dividir a autoestima em componentes e comportamentos específicos que podem ser aprendidos e executados. O fato de dividir em pequenas partes nos dá a opção de melhorar nossa autoestima por meio de um programa passo-a-passo.

O poder dessa divisão em pequenas partes para mudar nosso comportamento e nossas vidas é imenso. Por exemplo, Cathy (não é o seu nome real) é uma jovem de 18 anos do curso colegial com uma dificuldade de aprendizado. Ela está em classes de educação especial. Devido a esse fato, Cathy passou a maior parte de sua vida com uma autoestima muito baixa. Depois que recebeu um exemplar do 31 Days to High Self-Esteem, ela começou a praticar e aplicar as técnicas e princípios. Após uma semana de aplicação das técnicas para melhorar sua autoimagem, um valentão da sala de aula disse a Cathy que ele não sairia com alguém como ela, porque ela era feia. Esse tipo de declaração geralmente arrasava Cathy, porque ela tomava isso pessoalmente, o que reforçava sua baixa autoimagem. Ao invés de sentir-se mal em relação a si mesma, Cathy disse ao rapaz que ela também não sairia com ele. Essa resposta causou admiração tanto no professor da Cathy que ouvira a conversa e à sua mãe, quando o professor relatou-lhe o incidente. Recentemente, Cathy escreveu-me a seguinte carta:

" Antes de mais nada, desejo agradecer minha madrasta por ter comprado esse livro e por me fazer lê-lo. Eu não tinha certeza de que ficaria feliz se fizesse o que me mandaram, mas agora estou muito contente por ter recebido esse livro com a recomendação de lê-lo, porque ele me fez mudar todo meu ponto de vista. Eu sou alguém e realmente gosto de quem eu sou. Eu também descobri que outras pessoas também gostam de mim. Eu não sou alguém sem valor, estúpida ou feia. Sr. Bragg, obrigada por ser tão instrumental nas mudanças que eu fiz por causa do seu livro. Agora, tenho alguns amigos e tenho um domínio muito melhor sobre quem eu sou.

Eu não tenho somente amigos de minha idade, mas minha madrasta e eu somos boas amigas agora e eu sempre atribuirei essa amizade às coisas que eu aprendi lendo seu livro.

Obrigada, do fundo do meu coração.

... Cathy, 18 anos."

Cathy formou um grupo de estudos com diversos amigos para praticar as técnicas de construção de uma autoestima elevada. Esse grupo de apoio reforçará sua experiência e permitirá a ela ajudar outros a melhorar sua autoestima. Cathy melhorou sua autoimagem dividindo em partes comportamentos complexos em ações simples que ela podia fazer, uma de cada vez. O poder da PNL está em suas pressuposições. As pressuposições nos fortalecem para melhorar nossa autoestima apreciando a nós mesmos, assumindo a responsabilidade sobre nossas vidas e agindo com responsabilidade em relação aos outros.

Terry Bragg é o fundador do Peacemakers Training em Salt Lake City, Utah, e autor de 31 Days to High Self-Esteem. Ele trabalha com organizações que visam fazer seu pessoal trabalhar melhor em conjunto, e com indivíduos que desejam melhorar suas habilidades. Seu endereço: Peacemakers Training, 5485 South Chaparral Drive, Salt Lake City, Utah, 84123
Site: http://www.terrybragg.com E-mail: terry@terrybragg.com

Publicado na Anchor Point Dez/98
Publicado no Golfinho Impresso Nº 49 FEV/99
Tradução Hélia Cadore

Categoria: