A linguagem e o sucesso

Escrito por: 

Publicado em: 

qua, 05/03/2014

Os seres humanos são como peixes na água quando se refere a linguagem. Nós pensamos em palavras, falamos pelas palavras, ouvimos as palavras. As palavras estão em torno de nós, dentro de nós. Usamos palavras para expressar a nossa alegria, raiva, medo, felicidade, tristeza, frustração e aborrecimentos. No entanto, porque somos como peixes dentro d’água, não estamos conscientes de como as palavras nos afetam, e como mudando a mais simples comunicação isso pode mudar o mundo, o nosso ou de outra pessoa. Como nos expressamos determina o nosso sucesso ou fracasso com as metas, os relacionamentos, a carreira e até mesmo a felicidade. As palavras que usamos com nós mesmos determinam as nossas atitudes, o nosso humor e a nossa saúde.

Eu ouço erros na comunicação das pessoas durante todo o dia. Esses erros, muitas vezes, conduzem ao fracasso ou equívoco que alguém tem de uma situação ou com outra pessoa. Abaixo estão alguns exemplos:

1. A palavra: não. O cérebro não processa a palavra "não". Se eu disser "Não pense num elefante cor de rosa ou em um fusca amarelo," no que você pensou? Não fique indeciso, não perca essa oportunidade, não me entenda mal, não me espere, não vá agora, não se esqueça. O que você está realmente dizendo para os outros quando você utiliza o "não"? Você está dizendo a elas exatamente o que você não quer que elas façam. Em vez disso, use: tome a iniciativa, lembre-se, permaneça mais um tempo, faça o favor de entender, aja, vá agora.

2. A palavra: esperança. Esperança é uma palavra interessante. Não é que exista algo de errado com ela, apenas ela é usada de forma errada. Quando a esperança é usada, ela cria duas imagens no cérebro: uma de um resultado positivo e outra de um resultado negativo. As duas imagens têm o mesmo peso. Dessa forma, a esperança introduz ou provoca a dúvida. Uma palavra melhor seria "prever", a não ser é claro, que ter esperança é o melhor que você pode fazer em uma situação. Existe uma grande diferença entre dizer que você tem esperança de que algo aconteça e você prever que algo aconteça. Quando trabalhar com metas e resultados, use "prever".

3. A palavra: tentar. "Tentar" pressupõe fracasso. "Tentar" é apenas uma tentativa, não um sucesso. Use "posso fazer".

4. A palavra: perdido. Para coisas que você não pôde encontrar, use "fora do lugar". Você coloca fora do lugar arquivos, chaves, documentos, etc. Nós perdemos os entes queridos quando eles morrem. Perdido significa morto para sempre.

5. A palavra: coisa. Eu me surpreendo como mesmo alguns dos mais complexos pensadores usam essa palavra para descrever itens. "Vou lhe mostrar a minha coisa." O que é "coisa"? No lugar, use uma linguagem específica para descrever sobre o que você está falando: seu carro, seus produtos criativos, suas fotos, etc.

6. A palavra: todos. Use "algumas pessoas" ou "a maioria". "Todo mundo" é uma declaração universal que raramente descreve todas as pessoas em uma situação.

7. A palavra: ódio. Use "ter aversão". Ódio é uma palavra emocionalmente forte. Dizem que é a linguagem do câncer.

8. A palavra: depressão. Algumas pessoas evitam e dizem a si mesmas que estão deprimidas e se surpreendem do porquê estão deprimidas. Depressão é uma palavra deprimente. Pergunte a si mesmo: "O que eu preciso para ser feliz ou para mudar a minha situação?" Ao fazer perguntas simples para si mesmo, você envia o seu pensamento em outra direção. Tudo que você precisa fazer é perguntar. Não é preciso saber a resposta. A resposta virá até você se você continuar fazendo a pergunta.

9. A frase: eu tenho medo de altura. Não, o que você tem é medo de cair. Altura é altura. Ter medo de cair é natural. Alguns dizem que nós já nascemos com esse medo. De fato, em uma pesquisa, os pesquisadores pegaram um bebe com cerca de seis meses e o colocaram num grande piso móvel transparente. À medida que o piso subia, o bebe começou a mostrar sinais de estresse quando percebeu a diferença entre onde ele estava e onde estava o piso. Para permanecermos em segurança, o medo de cair nos faz prestar atenção ao que está no nosso entorno. Cautela é algo bom quando estamos longe do chão. Quando você sentir medo, preste atenção, esteja presente e tome cuidado.

10. A frase: eu tenho medo de voar de avião. Não, você tem é medo de um acidente com o avião. Quando você considera o fato de que mais de 1.800 aviões levantam e aterrissam no Aeroporto Internacional de Dallas por dia, as chances de algo acontecer são pequenas. Na verdade, a maioria das pessoas nem sequer conhece alguém que esteve em um acidente de avião. Eu conheci um sujeito que esteve em três acidentes e sobreviveu a todos. O medo real é de um acidente com o avião e não de voar de avião. Voar é o que você quer que o avião faça.

11. A frase: eu tenho medo de fracassar. Muitas vezes, isso encobre o medo do sucesso. As pessoas me contam que têm medo de fracassar, de modo que elas não assumem nenhum risco e nem tomam alguma ação para criar sucesso. Por essa razão, elas devem, na realidade, é ter medo do sucesso. Elas já estão fracassando. Como podem ter medo de algo que já está acontecendo? As pessoas que têm medo real de fracassar fazem tudo que é possível para evitar o fracasso, o que as torna bem-sucedidas.

12. A frase: isso me mata ou isso está me matando. É mesmo? Normalmente as pessoas usam essa frase para se referir a alguma situação difícil, porém não impossível. Isso (o quer que seja "isso") não está realmente o matando. Isso pode frustrá-lo, mas não está matando-o.

13. A frase: perder peso. Isso está relacionado com a palavra "perdido". Peso (weight) e esperar (wait) são ambiguidades fonológicas em inglês. Em outras palavras, elas têm o mesmo som, mesmo que queiram dizer coisas diferentes (como em português concerto musical e conserto de roupa). Você está dizendo que quer "perder peso" (que é ambígua em si) ou você está dizendo que quer "perder a espera?" Quando você define uma meta de saúde como essa, use específicos: Eu quero ter um tamanho X. O cérebro responde aos números. Ele sabe exatamente o que você está falando.

14. Motivar versus inspirar. Para mim motivar soa como o "motivado" é um participante relutante, enquanto que "inspirar" é uma palavra mais rica que aproveita a boa vontade da outra pessoa para participar alegremente.

15. Crítica versus feedback. Ao assumir a informação como um feedback, a pessoa muito provavelmente terá mais chances de compreender e considerar isso como uma informação. Nem tanto quando concebido como uma crítica, pois, provavelmente, uma palavra mais áspera, o irrita ou você opõe resistência.

Mais algumas dicas sobre as palavras:

Existem afirmações e avaliações.

As avaliações competem ao observador. Elas são subjetivas e podem ser colocadas em dúvida: "Maria é alta."

As afirmações são sobre o observado. "Maria tem 1,80 m de altura." Isso é um fato e pode ser verificado.

Use afirmações quando possível. Elas são mais dignas de crédito.

Abaixo temos um pequeno exercício para ajudá-lo a entender a sua própria linguagem:

Preste atenção aos padrões consistentes da linguagem ou as palavras que você usa, especialmente quando estiver frustrado ou com raiva. Assim que você souber essas palavras, comece a mudá-las para versões mais suaves. Procure por outras palavras com conotações mais positivas. Repare como a sua capacidade de lidar com situações muda através do tempo.

A linguagem é o espelho da mente. A sua linguagem reflete os seus pensamentos e a organização do seu modo de pensar. A linguagem e o pensamento não podem ser separados. Mude a sua linguagem e você vai mudar a sua vida. Fique atento à sua linguagem. Aprender linguagem irá ajudá-lo a mudar a sua linguagem e isso ajuda a conseguir o que você quer na sua vida.

Susan Stageman é Master Practitioner em PNL e Trainer Certificada; fundadora da NLP Training Concepts, ensina PNL desde 1989.

O artigo "Language and Success" está no site NLP Comprehensive.

Tradução JVF, direitos da tradução reservados.

Categoria: