Psicoterapia e Espiritualidade

Livro do Mês - Abril de 2015

Psicoterapia e Espiritualidade

Golfinho vem, desde o seu nascimento, indicando obras de autores brasileiros nas áreas de PNL e Hipnose, e muitas indicações são frutos de estudos e teses realizados pelos especialistas, mestrandos e doutorandos na área acadêmica – o que significa que a Programação Neurolinguística e a Hipnose, principalmente a ericksoniana, vem sendo interpretadas como experiências científicas, merecedoras de teses universitárias. Autores como Regina Maria Azevedo, Deodete Packer Vieira são exemplos de pioneirismo no segmento, e fazem parte do acervo deste Portal.

Maurício S. Neubern é um desses acadêmicos que vem publicando suas obras e enriquecendo o acervo brasileiro de Hipnose. Psicólogo, Doutor em Psicologia (UnB, 2003), ex-estagiário da Sorbornne, Professor da Universidade de Brasília, criador do Instituto Milton Erickson de Brasília, é também Vice-Presidente da Associação Brasileira de Hipnose.

Em “PSICOTERAPIA E ESPIRITUALIDADE”, Editora Diamante, BH, especializada em obras de autores ericksonianos, como Teresa Robles, Michael D. Yapko, Marília Baker, Joyce C. Mills, Ângela Cota e J. Augusto Mendonça, -- Maurício S. Neubern reflete com muita eficácia, como o próprio título do livro indica, sobre psicoterapia e a espiritualidade no processo de mudança. Ciência e Religião podem ser aliadas numa ressignificação pessoal ou grupal. Jung está presente, claro, e Freud. A bibliografia é extensa. E rica.

Mas, registre-se, a obra não é pesada, embora com mais de 300 páginas: a leitura é agradável, reflexiva, o estilo ora conciso e preciso, ora metafórico. Um livro envolvente.

Uma obra de magia: com Medusa, e pessoas transformadas em pedra, abrindo caminhos possíveis entre o Céu e a Terra.

No Capítulo 3 o Psicólogo desvenda suas anotações de Casos Clínicos: Aos Pés da Santa, “Rogai por nós”, As Chagas, o Perdão, Cuidados de mãe. Segundo o Autor são apresentados “com o intuito de ilustrarmos a proposta desse livro no tocante à psicoterapia de pessoas que vivenciam experiências religiosas." Mas a urdidura estilística desperta, também, outras leituras: o “Ponto de Partida” é embrião de um conto, ou de uma peça de teatro? “Da Sugestão à Evocação de Mundos” nos leva para deslumbramentos semelhantes. E tantos outros casos para auxiliar você a construir seu caminho. Achados ericksonianos com pitadas junguianas? Ficção e ciência aliadas na tessitura de um novo ser iluminado pela espiritualidade?

No Capítulo 4, Amores Eternos: os caminhos são batizados: Psicoterapia & Intuição, Reencarnação, Mergulho Antropológico, Encontro com as Trevas, O Saber Local, Sobre Encontros & Terapia, estão repletas de ferramentais primordiais para se olhar e aceitar o outro. Estamos vivenciando um importante evento: a experiência religiosa não obstaria uma prática científica.

Em “Aos Mestres, com Carinho” novas sendas espelham o processo de criação do Autor, suas crenças, sua capacidade de manusear um texto aberto,  texto repleto de ricos contextos: “A Menina e o Espantalho” é mais um belo exemplo da conversa do professor com seus alunos e leitores. Um rico aprendizado.

“Em Psicopatologia e Espiritualidade” o diálogo entre o Cético e o Diplomata, iniciado nos capítulos iniciais, estão cada vez mais heurísticos, poesia, ciência e religião se mesclando, se transmutando.

Quem é o Protagonista? A partir da página 250 o leitor encontra a resposta. Ou respostas. Os Mestres Falam.

Nas considerações Finais o Autor explicita que a tese central em seu trabalho é de que “Não podemos afirmar muita coisa sobre os outros, mas podemos afirmar algumas coisas quando formamos um ‘nós’”.

Bem, o mapa não é o território, mas pode ser enriquecido.

Uma obra de primeiro quilate para se compreender melhor a singularidade desse animal da ordem dos primatas pertencente à subespécie Homo sapiens sapiens.

João Nicolau Carvalho, Professor Universitário

Para comprar: Livraria Cultura