Metáfora da Semana

Metáfora da Semana 20, em 21 de Maio de 2016

Liberdade vigiada

Billy e Kay mal acreditavam no que acabavam de ouvir. Mamãe e papai deixaram eles passarem a manhã inteira no parque de diversões sozinhos. Era bom demais para ser verdade. Quer dizer que poderiam correr de carrinho pelo parque na velocidade que quisessem... uma volta, depois outra, depois outra. Poderiam dar tantas voltas  quanto quisessem, na direção que quisessem e quantas vezes quisessem. Que liberdade!

A única condição era ficarem juntos e estarem na praça central ao meio dia em ponto! Billy e Kay acertaram o relógio pelo do pai e saíram correndo. Foi um programão. Tanto que chegaram à praça quinze minutos antes do meio dia, felizes por terem um tempinho para descansar.

- Você acha que a gente deve dizer à mamãe que aquela figura sinistra nos seguiu àquela hora? - Billy perguntou.

- Não - disse Kay, - senão ela vai ficar preocupada.

- Acha que a gente deve contar pro papai que esqueci a bolsinha que comprei na penúltima volta de carrinho? - Kay perguntou.

-Ah, não - respondeu Billy, - acho que não. Ainda não acredito que eles nos deixaram a manhã inteira sozinhos aqui - Billy suspirou.

- É... - disse Kay. - Acho que eles acham que a gente já é grande.

Nesse momento a mãe e o pai apareceram.

- E então, se divertiram? - a mãe perguntou.

- Demais - disse Kay.

- Vocês não vão acreditar - disse o pai, segurando uma bolsinha de menina. - Sua mãe e eu demos uma volta e achamos isso na traseira de um carrinho. É bonitinha.

- É minha! - gritou Kay. - Esqueci lá. Como vocês conseguiram achar?

- Viram uma figura sinistra seguindo vocês lá no fundo do parque? - a mãe perguntou.

- Vimos - disse Billy. Era muito esquisito, mas agente fingiu que não viu.

Só dez anos depois Billy e Kay descobriram que a mãe e o pai estiveram lá o tempo todo - escondidos a alguns metros de distância, no melhor programa de sua vida, vendo os filhos no melhor programa da vida deles!

Do livro: Você não está só - Histórias de amor e coragem