Metáfora da Semana

Metáfora da Semana 41, em 13 de Outubro de 2018

A força do olfato e da audição

Certa vez, um homem pobre, entrou num fórum público pedindo que alguém o defendesse perante o juiz.

Um conselheiro perguntou-lhe o que havia ocorrido:

“Estava com muita fome e passando por um restaurante, senti um delicioso cheiro de comida e entrei. Como não posso comprar nada, me contentei em cheirar a comida e imaginar o quanto seria gostosa.

O dono do restaurante vendo-me ali, perguntou-me se queria algo e para não passar vergonha, disse que me sentia saciado em sentir o cheiro de tão belos e apetitosos alimentos.

Inconformado, o dono cobrou-me pelo cheiro dos alimentos e como não tinha e nem tenho dinheiro, serei levado amanhã, à presença do juiz e não sei como me defender.”

O conselheiro ficou sensibilizado com o relato do pobre e assumiu como sua, a causa.

No dia seguinte, lá foram os dois ao encontro do juiz. Encontraram no tribunal o tal dono do restaurante que apresentou sua queixa.

O rei ouviu atentamente e em seguida perguntou ao pobre, como seria sua defesa.

O conselheiro tomou a palavra:

- Não queremos ser injustos, portanto, trouxe aqui muitas moedas.

Tirou um saco cheio de moedas de ouro e fazendo bastante barulho colocou-o sobre a mesa.

O dono do restaurante arregalou os olhos:

- Sinto-me invadir por uma imensa satisfação só por ouvir o tilintar das moedas. Chego a imaginar o seu brilho.

O conselheiro calmamente continuou a defesa de seu cliente:

- Pois bem, caro juiz, meu cliente está sendo acusado de contrair um débito por ter cheirado os alimentos do restaurante desse senhor. O mesmo senhor que diz estar satisfeito somente em ouvir o barulho das moedas. Eu acho então, que a dívida está paga. Meu cliente cheirou a comida e senhor aí, ouviu o tilintar das moedas como pagamento.

O juiz, que sabia apreciar a perspicácia, achou justo que o pobre fosse perdoado da tal dívida ou melhor ainda, considerou a dívida liquidada.

Ao dono do restaurante coube a lição: com a medida que usamos para medir, seremos medidos.