Artigo do Mês

Desenvolvimento do músculo mental

Escrito por: 

Publicado em: 

qua, 04/12/2019

Software para as estratégias cerebrais

Os computadores expandem nosso conhecimento e tornam as informações facilmente acessíveis para nós. Eles podem nos ajudar a esclarecer objetivos e a alcançar nossos objetivos. O perigo é que, à medida que dependemos mais deles, não estamos apenas trabalhando com computadores, estamos nos tornando mais parecidos com eles. Gerenciamos nosso tempo diário na tela em segmentos, as conversas que outrora se estendiam por frases são concluídas em bites de sons. Gastamos menos tempo pensando e produzimos formulários com práticas caixas de seleção para que outras pessoas também não precisem perder tempo pensando. O resultado é que muitas pessoas estão se limitando ao pensamento analítico e ao tipo de processo, semelhante ao software que usam, e desligando todo o seu potencial para usar uma ampla variedade de estilos de pensamento.

No entanto, para que as empresas fiquem à frente da concorrência, precisam de ideias criativas, do tipo que só podem ser geradas por pessoas que pensam por si mesmas. Deixar de questionar o que parece óbvio nos liberta da necessidade de fazer mudanças, e então as mudanças (como as que acontecem em nossos setores de economia e força de trabalho) são impostas a nós.

Desenvolvimento do músculo mental

Com a prática, você pode aumentar as suas habilidades de pensamento e desenvolver o seu próprio software mental entre suas orelhas. Você pode construir e acumular estratégias de pensamento para 'energizar' o seu cérebro.

Comece questionando o familiar. Quais são as mensagens que você recebe todos os dias, aquelas que você procura não questionar, e que podem limitar a sua busca por soluções? Podem ser:

  • Eles estão no comando, devem saber o que estão fazendo!
  • Sou apenas 'assistente da administração', 'balconista', 'assistente de vendas', 'enfermeira', 'professora de ioga'... minha palavra não conta.
  • É a economia, é assim que se faz. Eu não tenho controle sobre os resultados.

Agora comece a limpar os obstáculos mentais. Pegue uma de suas crenças normalmente aceitas e questione-a. Pergunte a si mesmo: 'O que estou dizendo sobre a minha crença normalmente aceita é uma verdade, uma verdade possível ou é uma suposição limitante?

• Verdade / Fato?

• Possível verdade / fato?

• Suposição limitante?

Essa pergunta pode parecer enganosamente simples, mas forma a base de uma maneira muito poderosa de descobrir as crenças limitantes e os obstáculos, os nossos próprios e os de outras pessoas.

Reconhecendo as crenças limitantes

Se você assiste pesquisas ao vivo na TV, pode perceber que os comitês estão procurando responder a perguntas enormes usando essa mesma forma enganosamente simples de questionar um contexto de cada vez. Por exemplo, perguntas como:

• Como surgiu a crise bancária? Quem foi o responsável? Poderia ter sido prevista?

• Ou quais foram os passos que nos levaram à guerra do Iraque? Quem questionou as decisões? Como podemos impedir que uma situação semelhante aconteça de novo?

Em cada estágio, o investigador procura estabelecer se a resposta da pessoa que está sendo questionada é uma verdade/fato? uma possível verdade/fato? ou uma suposição limitante?

É vital estabelecer em que ponto os nossos pensamentos se desviam da verdade/fato, a verdade possível para alguém com uma suposição limitante, porque, uma vez que nos convencemos de que uma suposição limitante é uma verdade, procuramos informações para fundamentar a nossa crença e excluir todas as outras. Esse fato pode ser visto nos casos de apelação em que uma pessoa errada foi presa. No reexame, muitas vezes acontece que, uma vez que um provável suspeito tenha sido detido, os investigadores encerram todas as outras possibilidades. Uma vez que o nosso pensamento se desvia, procuramos apenas padrões que correspondam às nossas suposições – e os encontramos. Podemos acreditar tão firmemente que as nossas suposições são a "verdade" que, mesmo quando nos são mostradas evidências em contrário, ainda podemos argumentar apaixonadamente pelas nossas crenças limitantes.

Existe um ditado que diz que "Uma visão familiar não provoca atenção". Examine algumas das mensagens que você recebe todos os dias e que você aceita como verdade. Comece a questionar as suas próprias suposições limitantes listando as frases que você usa cada vez que incluir a palavra 'devia' em uma frase. Liste as suas seis frases mais comuns de 'devia' para começar, ou seja, eu 'devia' saber todas as respostas, ou seja, eu 'devia' ter acertado, ou seja, eu 'devia' ter previsto isso.

Quando você tiver seis frases ‘eu devia' na sua lista, pergunte a si mesmo: É essa crença que você tem uma verdade/fato? Uma possível verdade/fato? Ou é uma suposição limitante? De qualquer maneira, você aprenderá com a experiência.

• Verdade / Fato?

• Possível verdade / fato?

• Suposição limitante?

Perguntas de precisão

Desafie ainda mais cada uma de suas crenças limitantes com as perguntas de precisão a seguir. Por exemplo, para a crença limitante 'eu deveria ser mais produtivo' pergunte:

  • Como você sabe que não pode... ser mais produtivo?
  • O que aconteceria se você pudesse... ser mais produtivo?
  • O que você está assumindo que o impede de alcançar esse objetivo... ser mais produtivo?

Fazer perguntas de precisão permite lançar uma luz sobre o pensamento inútil e incentivar o surgimento de crenças mais úteis.

Agora pare e escute as respostas.

O artigo original “Developing Mental Muscle” encontra-se no site: www.positivehealth.com/articles/nlp/
 

Categoria: