Artigo do Mês

Supere o seu medo de voar - em sete etapas

Escrito por: 

Publicado em: 

ter, 05/02/2019

Segundo as estatísticas, uma em cada quatro pessoas tem fobia de andar de avião. Contudo, as causas variam de uma pessoa para outra. Para algumas, é medo de altura, para outras, claustrofobia: ficar preso e não conseguir sair do avião uma vez as portas estejam fechadas. Pode ser medo de turbulência, colisão, sensação de não estar seguro ou perda do controle. Com frequência há sobreposição entre esses gatilhos.

As pessoas geralmente se preocupam dizendo que voar não é seguro, mas você sabia que existem mais de cem mil voos por dia que pousam sem problemas? Quando você ouve sobre um acidente é precisamente porque eles são tão raros. Independentemente disso, você pode conhecer os fatos e as estatísticas e ainda ter medo: é a condição humana.

Muitas vezes, tentar trabalhar o seu medo de voar somente pela lógica não será suficiente. Nesse artigo, vamos explorar alguns métodos que trabalham a sua reação emocional e realmente desafiam as associações negativas que você adquiriu ao longo do tempo.

Como uma fobia é criada?

As pessoas reagem a várias situações de maneiras positivas e negativas. Certos gostos e cheiros, locais ou objetos podem nos trazer de volta uma lembrança e as sensações que a acompanham: a música que você ouviu com o seu primeiro namorado, por exemplo. Se você estava em um estado emocional forte o suficiente, você poderá, dez anos depois, ouvir essa música e as sensações positivas irão voltar. Isso também funciona ao contrário: outra música pode relembrar um relacionamento doloroso, etc. Muitas reações de estímulo são criadas ao longo de toda a nossa vida, e podem frequentemente nos afetar sem que saibamos o porquê. É exatamente isso que acontece com o medo de voar de avião: uma associação negativa consolida essa ligação para sempre. Talvez você tenha visto um filme com um acidente de avião quando era pequeno ou chorou num passeio em um parque temático, e daí a sua mente ligou isso com turbulência e o medo se desenvolve.

Se o gatilho foi suficientemente forte, basta um evento para criar esse medo. Assim que o seu cérebro criou esse caminho neural (o que é conhecido como uma reação de estímulo), sempre que você experimentar ou pensar em avião no futuro, seu corpo imediatamente se enche de adrenalina, preparando-se para lutar, correr ou paralisar. Essa é uma reação útil se quisermos evitar um perigo, mas, quando o nosso cérebro erroneamente vinculou perigo a algo que na verdade não é tão perigoso, ele cria emoções e reações indesejadas que nos impedem de ver o mundo.

Então, o que você pode fazer para mudar o seu medo de voar?

Existem três áreas em que você pode se concentrar para lidar com o seu medo:

  1. Você pode trabalhar no passado, procurando inicialmente o gatilho do evento que criou o medo e trabalhar nessas emoções e crenças;
  2. Você pode trabalhar no presente e como você reage na hora que estiver no avião;
  3. Você pode trabalhar no futuro e agir na antecipação de um próximo voo.

Essas sete dicas também o ajudarão:

Trabalhando com Gatilhos Passados

1 - Faça as perguntas certas

Comece fazendo essas perguntas para você mesmo:

• De que realmente eu tenho medo quando se trata de voar de avião?
• É a altura, estar enclausurado, turbulência, não ter controle ou alguma outra coisa?
• O que é que eu acredito sobre voar que me faz ficar com medo?
• Que evidência eu tenho para acreditar que essa crença seja verdadeira?
• Que evidência eu tenho de que ela não é verdadeira?
• Que memória ou memórias eu tenho do passado que podem ter contribuído para o meu medo de voar de avião?
• O que estava acontecendo naquele momento?

2 - Mexendo as velhas memórias

Depois de fazer as perguntas acima, lembre-se dos seus eventos passados. Pense no que você estava vendo, sentindo e fazendo naquele momento.

Pegue a imagem que você tem desse primeiro evento e brinque com a cor. Faça a imagem ficar opaca ou ficar preto e branco. Como seria se essa imagem ficasse pequena ou imagine esse evento na sua mente bem distante? Imagine rodar todo o evento para trás como se você estivesse rebobinando um filme, cinco vezes mais rápido, e depois rode para frente. Faça isso várias vezes. Imagine-se sentado calmamente em uma cadeira e assistindo esse evento como se estivesse em uma tela de TV. Imagine o evento ou eventos assustadores como uma comédia clássica em preto e branco. Continue tocando para frente e para trás e acrescente alguns personagens engraçados. Inclua uma música como trilha sonora que o faça rir. Talvez o seu comediante favorito tenha acrescentado o comentário do diretor. Observe o que acontece com as suas sensações quando você brinca com essas imagens e sons.

3 - Estimulação Lateral Cruzada

Outra maneira de reduzir os gatilhos do passado é através da estimulação lateral cruzada.

• Comece olhando para frente, encontre uma posição fixa para que os olhos permaneçam no mesmo nível do foco;
• Agora, enquanto pensa no evento passado ligado ao voo, concentre-se nas sensações e dê uma nota (de zero a dez) para mostrar quão ruim é o medo, dez sendo o pior e zero para nada;
• Agora permita que os seus olhos se movimentem lentamente da esquerda para a direita passando entre a ponte do seu nariz. Faça isso devagar para começar e depois fique mais rápido;
• Faça isso por alguns minutos e então verifique a nota;
• Continue repetindo esse processo da esquerda para a direita até que o seu medo nesse evento passado seja zero;
• Se necessário, repita isso para o próximo evento. 

Trabalhando com o presente

Comece percebendo o que você sente, pensa e faz quando entra em um avião. Seu medo normalmente terá um padrão para isso e você estará pensando, sentindo e respirando de uma certa maneira.

4 – Amor-próprio

Uma maneira de começar a quebrar esse padrão é fazer algo relaxante enquanto se concentra no seu medo. Como a mente não pode manter duas emoções ao mesmo tempo, o medo normalmente diminui.

Uma maneira muito simples de fazer isso é pegar as mãos e colocá-las em suas têmporas. Lentamente mova-as para baixo acariciando o seu rosto e, em seguida, volte a subir. Faça isso por alguns minutos, como se estivesse embalando um bebê para dormir. Esse movimento libera endorfinas que neutralizam a adrenalina causada pelo medo.

5 – Girando as sensações 

Observe onde no seu corpo você sente o medo. Quão pesado ou leve ele é? Se você colocar mais foco nos sentimentos, isso aumenta ou diminui a sensação? Você sente como se os sentimentos tivessem uma direção? Agora imagine a sensação fora do seu corpo, na sua frente e imagine ela se movendo na direção oposta. Acelere a sensação e a puxe de volta para o corpo, girando-a na direção oposta. Gire mais e mais rápido até que ela desapareça.

6 - Concentre-se na sua respiração

Quando você está com medo, a primeira coisa que muda é a sua respiração, que se torna rápida e superficial. Para mudar é necessário que você faça respirações diafragmáticas profundas, inspirando pelo nariz por cinco segundos, prendendo a respiração por cinco segundos e expirando pela boca por cinco segundos. Continue repetindo essa sequência até que a sua respiração volte ao normal.

Muitas vezes, a pior parte do medo de voar para as pessoas não é o voo em si, mas o acúmulo ou a antecipação que pode surgir semanas antes do evento. Quando as pessoas têm medo do futuro (ansiedade), geralmente elas estão dizendo "e se?" e imaginando o pior cenário possível. Aqui está uma maneira de lidar com o acúmulo ou o medo do futuro.

7 - Faça o voo como você quer

Uma coisa importante é se concentrar no seu objetivo. Em vez de se concentrar nas partes do voo que o assustam, pense, em primeiro lugar, na razão pela qual você embarcou nesse voo. Como você se sentirá depois da chegada no destino? Imagine que você está curtindo a vista com um coquetel. Torne essa imagem brilhante e vívida, adicione belas músicas relaxantes e continue reforçando a imagem. Agora, quando você pensar em voar, concentre-se nas imagens, sentimentos e sons positivos que você imaginou. Algumas pessoas duvidam que a visualização tenha qualquer efeito sobre elas até perceberem que estiveram fazendo isso toda a vida - é que elas sempre visualizavam o negativo e o que podia dar errado.

Quando você tomar consciência disso, poderá substituir o medo por visualização positiva.

Ao contrário de outros métodos que as pessoas usam para superar o medo das drogas ou do álcool, esse processo não é prejudicial e você nunca poderá praticá-lo em excesso. Use-o sempre que o medo de voar vier à tona e você logo será capaz de viajar pelo mundo com a liberdade que merece.

O artigo original "Get Over Your Fear of Flying - in Seven Easy Steps" encontra-se no site: www.positivehealth.com/articles/nlp/

Categoria: